quarta-feira, 25 de abril de 2018

Universo realizará dia de ação social com vacinação contra a Influenza



Neste sábado (28), a Universidade Salgado de Oliveira (Universo) abre as portas para a população durante o dia de ação social, iniciativa do projeto Universo Social.  Os atendimentos serão nas áreas de saúde, jurídica e bem-estar, das 8h ao meio-dia, em parceria com a Clínica SiM, Tribunal De Justiça de Pernambuco (TJPE), Celpe, Compesa, Núcleo de Assistência as Pacientes Hepáticos (Naphae) e Secretaria de Saúde de Pernambuco.
Na programação estão previstos os serviços de emissão da Certidão de nascimento, casamento e óbito; teste de hepatite; aferição de pressão; teste de glicemia; emissão de 2° via de contas da Compesa e Celpe, além de negociação de débito, inscrição de tarifa social e troca de titularidade e solicitação de ligação. A ação contará também com orientação jurídica e conciliação de conflitos; abertura de procedimentos pré-processuais com distribuição automática para os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC’s) do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).
De acordo com o diretor geral da Universo, Ubirajara Tavares, essas ações tem como objetivo aproximar a universidade da população e comunidades do entorno, além de ser um facilitador desses serviços básicos.“Em paralelo aos serviços prestados à sociedade, as atividades fazem parte dos trabalhos de extensão dos alunos aproximando-os também da comunidade. Um forma de unir a parte acadêmica e exercitar a solidariedade”, explica.
Ainda na programação, o público contará com orientação nutricional ministrada pelos estudantes do curso de Nutrição, e palestra sobre Riscos de adoecimento e agravos no cotidiano que abordará temas como automedicação, postura e queda, com os estudantes de fisioterapia. E por fim, em prol da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, a Universo – em parceria com a Secretaria de Saúde de Pernambuco – disponibilizará um local para vacinação. Confira abaixo o público prioritário e para que serve.
Quem tem prioridade para se vacinar gratuitamente?
- Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;
- Gestantes;
- Puérperas, ou seja, mulheres que deram a luz (até 45 dias após o parto);
- Trabalhador de saúde;
- Povos indígenas;
- Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;
- População privada de liberdade, o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas;
- Funcionários do sistema prisional;

SERVIÇO:
DIA DE AÇÃO SOCIAL UNIVERSO
Data: Sábado (28)
Horário: das 8h às 12 h
Informações : (81) 3797 3038

Exposição "1817 – Revolução Republicana” chega a Caruaru

A exposição “1817 – Revolução Republicana”, que marcou os 200 anos do movimento libertário que fez de Pernambuco uma república independente da Coroa Portuguesa, chega a Caruaru, no Agreste do Estado. Uma versão itinerante da mostra promovida pelo Museu da Cidade do Recife será exibida a partir do dia 26 de abril – e segue até 5 de junho – na galeria Zé Galdino, no Sesc da região, localizado na Rua Limeira Rosal, s/n, no bairro de Petrópolis.

Essa é a segunda parada da mostra, a primeira foi em Petrolina, em janeiro deste ano. Após Caruaru, a exposição itinerante segue para Vicência, na Zona da Mata do Estado, e depois Campina Grande, na Paraíba. A entrada é gratuita.

Em um momento da exposição dedicado às bandeiras - a bandeira da revolução pernambucana e outras que inspiraram o processo republicano -, o visitante é convidado a criar e expor a sua própria bandeira. No local, há cartolina e lápis de cor para a empreitada e um varal para que a obra seja colocada. "A ideia é que cada um faça sua bandeira e exponha suas ideias revolucionárias", explica a diretora do museu, Betânia Corrêa de Araújo.

A exposição

Há 200 anos, Pernambuco viveu um momento único na história do Brasil, quando fez uma revolução e, durante 75 dias, viveu uma república à parte, livre da Coroa portuguesa. Para lembrar o bicentenário histórico e revisitar o processo libertário, o Museu da Cidade do Recife (MCR), em parceria com o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), inaugurou em 2017 a exposição "1817 - Revolução Republicana". A exposição ficou em cartaz durante um ano no museu, localizado no Forte das Cinco Pontas, um dos locais emblemáticos da própria revolução.

A exposição é dividida em cinco eixos e possui mediadores para receber escolas e espectadores em geral. Abrindo a visitação, a sala "Revoluções" mostra, através de textos e imagens históricas, o cenário que fez ebulir os ideais revolucionários. O ponto de partida é uma projeção com os nomes dos 150 homens presos no Forte de São Tiago das Cinco Pontas. A pesquisa aborda os ideais que moveram as revoluções em vários cantos do mundo, como a Revolução Francesa, a independência dos Estados Unidos e outras ações libertárias na América. "É uma exposição de ideias", define a diretora do MCR e organizadora da exposição, Betânia Corrêa de Araújo.

"A revolução foi a ideia e também a concretização, única, da separação da coroa portuguesa. O movimento teve a ideia de romper o status quo vigente", afirma o historiador e professor Sandro Vasconcelos, um dos autores da narrativa histórica da exposição ao lado do também professor e historiador Marcus Carvalho e do pesquisador e historiador Mateus Samico.

Serviço

1817 – Revolução Republicana
Quando: De 26 de abril a 5 de junho
Onde: Galeria Zé Galdino, no Sesc
Entrada gratuita.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Sport 1 x 1 Botafogo-RJ - Melhores Momentos

Jacuipense 1 x 1 Central - Os Gols

Confiança 3 x 0 Salgueiro - Melhores Momentos

Flamengo de Arcoverde 2 x 1 Murici-AL - Os Gols

A história dos confrontos Sport x Botafogo-RJ

Na noite desta segunda-feira, Sport e Botafogo-RJ se enfrentam pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Rubronegros e alvinegros estarão se confrontando pela 44ª vez.

Essa história vem sendo registrada desde 1919, quando houve o primeiro jogo. Uma partida festiva para a inauguração do antigo campo do Sport, na Avenida Malaquias. O Botafogo goleou por 6 x 1.

Local: Campo do Sport C. Recife
Avenida Malaquias, localizado atrás do atual Museu do Estado, hoje Avenida Rui Barbosa
Árbitro: Altamiro Mourão dos Santos
Gols: Petiot (2), Candiota (2), Santinho e Paulo Burlamaqui p/o Botafogo; Pedro Mazulo p/o Sport

Sport Recife: Franco, Chalmers e Armindo; Manta, Mazulo I e Eurico; Salazar, Baptista, Pedro Mazulo, Benedicto e Rodrigues.

Botafogo: Casusa, Monti e Osny; Police, Vadinho e Paulo Burlamaqui; Celso, Petiot, Santinho, Candiota e Neco.

Obs: O Botafogo conquistou a Taça Inauguração do Estádio.

São 43 jogos. Entre amistosos, torneios e competições oficiais.
11 vitórias do Sport.
10 empates
22 vitórias do Botafogo-RJ.

Um Sport x Botafogo-RJ em 2009: 


A última vitória do Sport em cima dos cariocas aconteceu em 16 julho de 2014:


De lá para cá, foram disputadas 7 partidas, com 3 empates e 4 vitórias dos cariocas.


Confira os 43 jogos:


Abaixo, algumas fichas técnicas:

01 / 05 / 1984 - Botafogo 0 a 0 Sport,  Torneio Heleno Nunes,
BOTAFOGO (RJ) 0 X 0 SPORT RECIFE (PE)
Data: 01/05/1984
Local: Estádio Mané Garrincha / Rio de Janeiro (RJ).
Árbitro: Luís Carlos Félix (RJ).
Renda: Cr$ 14.296.000,00.
Público: 7.148.
Cartão Amarelo: Uchôa, Antenor e Cléber.
BOTAFOGO: Luís Carlos, Josimar, Osvaldo, Zé Roberto e Paulo Roberto; Alemão, Otávio e Berg; Helinho, Leandro e Ataíde (Cláudio). Técnico: Didi.
SPORT: País, Uchôa, Marião, Bianchi e Antenor; Merica, Cléber e Rommel (Wescley); João Carlos (Joãozinho), Neto e Nei. Técnico: Mário Juliato.

BOTAFOGO (RJ) 2 x 2 SPORT RECIFE (PE)
Data: 30/05/2009
Campeonato Brasileiro
Local: Engenhão / Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Adson Márcio Lopes Leal (BA)
Cartões amarelos: Teco, Lucio Flávio, Juninho, Fahel e Thiaguinho (Botafogo). Moacir, Hamilton e Magrão (Sport).
Cartão vermelho: Hamilton, aos 27 minutos do segundo tempo (Sport).
Gols: Wilson 06 e Weldon 20/1º, Tony 15 e Fahel 39/2º
BOTAFOGO: Renan; Leandro Guerreiro, Juninho e Teco (Léo Silva); Alessandro (Thiaguinho), Fahel, Túlio Souza (Tony), Lucio Flávio e Eduardo; Laio e Victor Simões / Técnico: Ney Franco
SPORT RECIFE: Magrão; César, Igor e Durval; Moacir (Juliano), Hamilton, Sandro Goiano (Eliseu) e Dutra; Weldon (Dudé), Luciano Henrique e Wilson / Técnico: Levi Gomes

BOTAFOGO-RJ 2 x 0 SPORT-PE
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro
Data: 15 de agosto de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Antônio Rogério Batista do Prado (SP)
Assistentes: Carlos Nogueira Júnior (SP) e Bruno Rizo (SP)
Cartões amarelos: Naldinho e Moacir (Sport)
GOLS:  BOTAFOGO: Elkeson, aos 21min do segundo tempo; Seedorf, aos 31min do segundo tempo
BOTAFOGO: Jéfferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Lima; Jadson, Renato (Rafael Marques), Seedorf (Gabriel), Fellype Gabriel (Cidinho) e Andrezinho; Elkeson
Técnico: Oswaldo de Oliveira
SPORT: Magrão, Moacir, Diego Ivo (Bruno Aguiar), Ailson e Rivaldo; Tóbi, Rithelly, Naldinho (Renan Teixeira) e Hugo (Gilberto); Felipe Azevedo e Marquinhos Gabriel
Técnico: Gustavo Bueno

SPORT 2 x 0 BOTAFOGO
Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 18 de novembro de 2012, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Fabiano Ramires (ES)
Cartões Amarelos: Cicinho (Sport); Antônio Carlos (Botafogo)
Gols: SPORT: Gilberto, aos 12, e Henrique, aos 44 minutos do segundo tempo

SPORT: Saulo; Cicinho, Diego Ivo, Aílson e Reinaldo; Tobi, Moacir e Hugo; Gilsinho (Henrique), Gilberto (Willians) e Felipe Azevedo (Felipe Menezes)
Técnico: Sergio Guedes

BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Dória e Márcio Azevedo (Elkeson); Gabriel, Renato (Fellype Gabriel), Seedorf, Andrezinho e Lodeiro (Vítor Júnior); Bruno Mendes
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Fontes:

http://www.campeoesdofutebol.com.br/amistoso_1919_sumula1.html





Santa Cruz 3 x 1 Atlético-AC - Melhores Momentos

O Santa Cruz conquistou a sua primeira vitória na Série C 2018. Bateu o Atlético do Acre por 3 x 1 no Arruda em jogo válido pela segunda rodada da competição. Geovani, Carlinhos Paraíba e Robert fizeram os gols corais, enquanto que Araújo descontou para os nortistas. 
Público: 3.998
Renda: R$ 24.410,00

Na terceira rodada, os tricolores recebem o ABC, sábado às 4 da tarde no Arruda, já o Galo Carijó enfrenta o Náutico no Florestão, domingo às 19 horas.  

O Santa Cruz em 2018: 
Pernambucano - 11 jogos - 2 vitórias, 7 empates e 2 derrotas. 9 gols marcados. 12 gols sofridos. 
Copa do Brasil - 1 jogo - 1 derrota. 2 sofridos. 
Copa do Nordeste - 6 jogos - 3 vitórias e 3 empates. 11 gols marcados e 4 sofridos. 
Série C - 2 jogos - 1 vitória e 1 empate. 4 gol marcados e 2 sofridos. 
Total - 20 jogos - 6 vitórias, 11 empates e 3 derrotas. 24 gols marcados e 20 sofridos. Saldo de 4.


sábado, 21 de abril de 2018

Botafogo-PB 4 x 0 Náutico - Melhores Momentos

O Náutico foi goleado pelo Botafogo-PB no estádio Almeidão em João Pessoa, em partida válida pela 2ª rodada da Série C do campeonato brasileiro. Marcos Aurélio (2), Mário e Dico fizeram os gols dos paraibanos. Os alvirubros visitam o Atlético-AC em Rio Branco no próximo domingo, já o Belo recebe o Confiança na segunda dia 30. Antes disso, joga novamente no Almeidão, quinta que vem contra o Bahia pelas quartas de final da Copa do Nordeste.

O Náutico em 2018:

Pernambucano - 14 jogos - 8 vitórias, 5 empates e 1 derrotas. 23 gols marcados. 13 gols sofridos. Copa do Brasil - 6 jogos - 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota. 6 gols marcados, 5 sofridos.
Copa do Nordeste - 8 jogos - 2 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. 8 gols marcados e 8 sofridos.
Série C - 2 jogos - 1 empate e 1 derrota. 1 gol marcado e 5 sofridos.
Total - 30 jogos - 14 vitórias, 11 empates e 5 derrotas. 38 gols marcados e 31 sofridos. Saldo de 7.

Todos os Confrontos - Náutico x Botafogo-PB

20/abr/1941 Amistoso F Náutico 2 x 1 Botafogo-PB Orlando Pingo de Ouro e Pedro
20/fev/1949 Amistoso F Náutico 1 x 3 Botafogo-PB Romildo
20/nov/1949 Amistoso F Náutico 4 x 1 Botafogo-PB Amorim, Carmelo, Fernandinho e João Magro
13/mai/1951 Amistoso F Náutico 1 x 2 Botafogo-PB
23/mai/1951 Amistoso C Náutico 4 x 2 Botafogo-PB Djalma, Fernandinho, Ivanildo e Zeca
27/jun/1954 Amistoso F Náutico 2 x 0 Botafogo-PB Hamílton e Ivanildo
07/ago/1955 Torneio-PB F Náutico 0 x 0 Botafogo-PB
15/abr/1956 Amistoso F Náutico 1 x 0 Botafogo-PB Ivanildo
21/abr/1956 Amistoso C Náutico 3 x 0 Botafogo-PB Ivanildo (2) e Celu
12/ago/1956 Amistoso F Náutico 4 x 3 Botafogo-PB Benítez (2), Jorginho e Paulinho
27/abr/1958 Amistoso C Náutico 7 x 1 Botafogo-PB Geraldo José (2), Edmur (2), Elias Caixão, Pedro Amorim e Caiçara
16/jun/1962 Amistoso F Náutico 3 x 4 Botafogo-PB Salomão (2) e Bita
11/ago/1962 Amistoso C Náutico 2 x 0 Botafogo-PB Didi e Xavier (contra)  -  (Jogo encerrado aos 21 do 1º Tempo)
21/mar/1963 Amistoso F Náutico 2 x 0 Botafogo-PB
25/jun/1967 Amistoso F Náutico 3 x 1 Botafogo-PB Miruca (3)
06/ago/1967 Amistoso F Náutico 1 x 2 Botafogo-PB Ivan Brondi
13/dez/1968 Amistoso F Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Ramos
01/fev/1970 Amistoso C Náutico 2 x 3 Botafogo-PB Paulo e Ramos
01/mar/1970 Amistoso C Náutico 3 x 0 Botafogo-PB Elói (2) e Wilson
06/mar/1970 Amistoso F Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Elói
01/out/1970 Torneio Norte-Nordeste C Náutico 3 x 1 Botafogo-PB Lauro (2) e Bita
14/fev/1971 Amistoso F Náutico 2 x 0 Botafogo-PB Erasmo e Bita
18/set/1971 Torneio Integração Nacional N Náutico 0 x 1 Botafogo-PB
10/fev/1974 Amistoso F Náutico 1 x 0 Botafogo-PB Vasconcelos
19/out/1975 Amistoso F Náutico 2 x 2 Botafogo-PB Jorge Mendonça (2)
18/fev/1976 Amistoso F Náutico 0 x 2 Botafogo-PB
02/mar/1977 Amistoso F Náutico 0 x 1 Botafogo-PB
13/abr/1977 Amistoso F Náutico 0 x 1 Botafogo-PB
23/nov/1977 Brasileiro-Copa Brasil C Náutico 2 x 1 Botafogo-PB Zuza (2)
18/dez/1977 Brasileiro-Copa Brasil F Náutico 1 x 3 Botafogo-PB Zuza
29/mar/1978 Brasileiro-Copa Brasil C Náutico 3 x 1 Botafogo-PB Parraga, Luís Carlos e Chico Explosão
01/ago/1978 Amistoso F Náutico 2 x 1 Botafogo-PB Parraga e Jorge Luís
07/fev/1979 Torneio-PE C Náutico 1 x 2 Botafogo-PB Didi Duarte
01/mar/1980 Brasileiro-Taça de Ouro C Náutico 0 x 1 Botafogo-PB
01/fev/1981 Brasileiro-2ª Divisão-Taça de Prata C Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Reinaldo
17/dez/1985 Amistoso C Náutico 2 x 1 Botafogo-PB Cláudio Mineiro e Jarbas
17/set/1988 Amistoso F Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Bizu e Botafogo-PBe
20/set/1988 Amistoso C Náutico 2 x 0 Botafogo-PB Bizu e Fernando Oliveira
09/dez/1994 Copa do Nordeste N Náutico 2 x 2 Botafogo-PB Jefferson (2)
26/fev/1998 Copa do Nordeste F Náutico 0 x 0 Botafogo-PB
05/mar/1998 Copa do Nordeste F Náutico 1 x 2 Botafogo-PB Macalé
18/jan/2001 Copa do Nordeste F Náutico 3 x 1 Botafogo-PB Rafael, Kuki e Dorgival
19/jan/2002 Copa do Nordeste C Náutico 8 x 2 Botafogo-PB Lima, Ludemar (3), Fumaça (2), Aílton e Adílson
29/jul/2010 Copa do Nordeste F Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Erick
30/jan/2014 Copa do Nordeste C Náutico 0 x 1 Botafogo-PB
04/fev/2014 Copa do Nordeste F Náutico 1 x 1 Botafogo-PB Hugo
16/jan/2016 Amistoso F Náutico 0 x 0 Botafogo-PB e Botafogo-PBe
23/jan/2016 Amistoso C Náutico 2 x 0 Botafogo-PB Ronaldo Alves (2)
08/fev/2018     Copa do Nordeste  F   Botafogo-PB 2 x 1 Náutico   Wallace
22/mar/2018    Copa do Nordeste  C   Náutico 1 x 0 Botafogo-PB   Rafael Assis


Fontes: 



O Náutico na Série C de 1999

Resultado de imagem para o náutico 1999 série c
São Raimundo x Náutico no Vivaldão - Foto: A Crítica


O Náutico disputou a Série C pela primeira vez em 1999.

No ano anterior, os alvirubros fizeram uma péssima campanha no Campeonato Brasileiro da segunda divisão, que ainda não tinha o formato atual. 24 equipes jogaram na competição. O timbu ficou em 21º e foi rebaixado junto com Fluminense-RJ, Atlético-GO, Juventus-SP, Volta Redonda-RJ e Americano-RJ.

Na primeira fase, foram 36 equipes distribuídas em 6 chaves. Classificavam para a segunda fase dois de cada grupo e mais quatro como melhores terceiros. Perfazendo um total de dezesseis.

A CBF regionalizou a competição. O Timbu ficou no Grupo C, junto com Sergipe, CSA, Itabaiana, Unibol e Fluminense de Feira de Santana.

Os jogos:

Náutico 2 x 0 Unibol - Veloso e Pedrinho
Itabaiana 1 x 2 Náutico - Luciano e Rômulo
Náutico 5 x 0 Flu de Feira - Pedrinho, Rômulo, Célio Jacaré, Luis Carlos Oliveira (2)
Sergipe 0 x 2 Náutico - Pedrinho (2)
CSA 1 x 1 Náutico - Luciano
Náutico 2 x 1 CSA - Célio Jacaré (2)
Náutico 4 x 1 Sergipe - Rômulo (2), Alex Carioca e Marco Antônio
Flu de Feira 0 x 2 Náutico - Marco Antônio e Luis Carlos Oliveira
Náutico 3 x 0 Itabaiana - Marco Antônio, Luciano e Luis Carlos Oliveira
Unibol 2 x 2 Náutico - Rômulo e Veloso

Classificação:


CLASSIFICAÇÃOPGJVEDGPGCSG
  Náutico (PE)
261082025718
  Sergipe (SE)
17105231112-1
  CSA (AL)
1310343149 5
  Itabaiana (SE)
12103341416-2
  Unibol (PE)
10102441316-3
  Fluminense (BA)
410118825-17

Na segunda fase, os timbus enfrentaram o Ypiranga do Amapá em dois jogos:

Ypiranga 0 x 3 Náutico - Marco Antônio, Alex Carioca e Luis Carlos Oliveira
Náutico 1 x 0 Ypiranga - Rômulo

O alvirubro estava classificado para a terceira fase e enfrentaria o Sergipe em três partidas:

Sergipe 2 x 0 Náutico
Náutico 1 x 1 Sergipe - Alex Carioca
Náutico 5 x 1 Sergipe - Alex Carioca (2), Luís Carlos Oliveira, Pedrinho e Marquinhos

O Náutico estava entre os quatro melhores da competição, junto com Fluminense, Serra-ES e São Raimundo-AM. Apenas dois conquistariam o acesso. Contudo, os problemas internos alvirubros apareceriam de forma contundente. 

Os jogos:

Fluminense 2 x 1 Náutico - Célio Jacaré
Náutico 4 x 1 Serra - Célio Jacaré, Alex Carioca, Luis Carlos Oliveira e Silvério (contra)
São Raimundo 2 x 1 Náutico - Alex Carioca
Náutico 1 x 2 São Raimundo - Marquinhos

O historiador do futebol Roberto Vieira destaca em seu blog a história desse jogo e afirma: o Náutico de Adir; Carlinhos (Marquinhos), Biluca, Luciano e Rogério; Léo Rachid, Velozo, Marco Antônio e Luís Carlos Oliveira; Alex Carioca (Jacaré) e Rômulo (Pedrinho), do técnico Artur Neto e do presidente Correia foi o pior Náutico da história centenária do clube.

Serra 1 x 0 Náutico 
* Por ter escalado um jogador de forma irregular, o Serra perdeu
os pontos. Para efeito de classificação ficou Náutico 1x0 Serra.*

Náutico 0 x 2 Fluminense 
Local: Aflitos (Recife-PE); Público: 1.381;
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG); Gols: Roger 13' e 24' do 2º;
Cartões Amarelos: Veloso, Édson, Paulo César, Marcão e Antônio Lopes.
NÁUTICO: Adir, Carlinhos, Luciano, Júnior Mineiro e Rogério
(Capixaba); George, Marquinhos (Veloso), Marco Antônio e Édson;
Célio Jacaré e Alex Carioca. Técnico: Arthur Neto.
FLUMINENSE: Diogo, Flávio, Antônio Lopes, Émerson e Paulo César;
Marcão, Válber, Marco Brito (Jorge Luís) e Yan (Roberto Brum);

Magno Alves (Róbson) e Roger. Técnico: Carlos Alberto Parreira.


CLASSIFICAÇÃO FINALPGJVEDGPGCSG
  Fluminense (RJ)
136411106 4
  São Raimundo (AM)
9630399 0
  Serra (ES)
76213913-4
  Náutico (PE)
6620499 0

Pelo regulamento, Fluminense e São Raimundo ascenderiam à Série B e Náutico e Serra disputariam a Série C de 2000, entretanto uma reviravolta no futebol brasileiro fez com que pernambucanos e capixabas disputassem a Série B desse ano. E o Fluminense pulou a Série B e disputou a Série A.

Uma história que o torcedor alvirubro que deixar para trás e sonhar com novos rumos a partir de 2019.

Fontes:

http://www.bolanaarea.com/serie_c_1999.htm

http://noblogdoroberto.blogspot.com.br/2008/07/o-pior-nautico-da-historia.html

http://futebol80.com.br/links/times/nautico/nauticojg.htm

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Náutico vence, mas se despede da Copa do Brasil.

O timbu venceu a Ponte Preta por 1 x 0 na Arena de Pernambuco, mas não foi o suficiente para classificar para as oitavas de final da Copa do Brasil 2018. O que eliminou a equipe foi a derrota em Campinas, no primeiro jogo por três a zero. Júnior Timbó de pênalti, fez o gol alvirubro aos 37 minutos do segundo tempo. 

O Náutico agora dedica-se totalmente à série C do campeonato brasileiro. No próximo sábado, os timbus enfrentam o Botafogo-PB no Almeidão pela 2ª rodada da competição.

O Náutico em 2018:

Pernambucano - 14 jogos - 8 vitórias, 5 empates e 1 derrotas. 23 gols marcados. 13 gols sofridos.
Copa do Brasil - 6 jogos - 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota. 6 gols marcados, 5 sofridos.
Copa do Nordeste - 8 jogos - 2 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. 8 gols marcados e 8 sofridos.
Série C - 1 jogo - 1 empate. 1 gol marcado e 1 sofrido.

Total - 29 jogos - 14 vitórias, 11 empates e 4 derrotas. 38 gols marcados e 27 sofridos. Saldo de 11.



Ponte Preta em 2018:

Paulista - 17 jogos - 5 vitórias, 7 empates e 5 derrotas. 13 gols marcados e 12 sofridos.
Copa do Brasil - 6 jogos - 2 vitórias, 3 empates e 1 derrota. 4 gols marcados e 1 sofrido.
Série B - 1 jogo - 1 derrota. 1 gol sofrido.

Total - 24 jogos - 7 vitórias, 10 empates e 7 derrotas. 17 gols marcados e 14 sofridos. Saldo de 3.

Juazeirense e Salgueiro empatam pela seletiva da Copa do Nordeste

Na noite desta quarta-feira, Juazeirense e Salgueiro empataram em 1 x 1 no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro-BA, em partida válida pela seletiva para a Copa do Nordeste 2019. O carcará ainda teve a chance de vencer a partida, com uma penalidade desperdiçada por Willian Lira aos 43 do segundo tempo. O mesmo Willian abriu o placar para os pernambucanos no primeiro minuto de jogo. Jussimar empatou para os baianos três minutos depois.

Na quarta-feira, dia 25, o jogo da volta no Cornélio de Barros. Empate em qualquer placar leva a decisão para os pênaltis. Quem vencer garante a vaga na competição regional. 

As equipes também estão no mesmo grupo da Série C e se enfrentam novamente em Salgueiro no dia 27 de maio.

O Salgueiro na temporada 2018:

Pernambucano - 13 jogos - 4 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. 12 gols marcados. 17 gols sofridos.
Copa do Brasil - 2 jogos - 1 vitória e 1 derrota. 3 gols marcados, 7 sofridos.
Copa do Nordeste - 6 jogos - 3 empates e 3 derrotas - 1 gol marcado e 13 sofridos.
Série C - 1 jogo - 1 empate. 0 x 0.

Seletiva Copa do Nordeste 2019 - 1 jogo - 1 empate - 1 gol marcado e 1 gol sofrido.

Total - 23 jogos - 5 vitórias, 10 empates e 8 derrotas. 17 gols marcados e 38 sofridos. Saldo negativo de 21.


A Juazeirense na temporada 2018:

Baiano - 11 jogos - 6 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. 17 gols marcados e 13 sofridos.
Série C - 1 jogo - 1 derrota - 1 gol sofrido
Seletiva Copa do Nordeste 2019 - 1 jogo - 1 empate - 1 gol marcado e 1 sofrido.

Total - 13 jogos - 6 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. 18 gols marcados e 15 sofridos.

Náutico precisa reverter situação para classificar na Copa do Brasil

O Náutico entra em campo nesta quarta-feira, na Arena de Pernambuco. A partida está marcada para as 21 horas e 45 minutos e é válida pela quarta rodada da Copa do Brasil. Jogo da volta. Os timbus perderam a primeira em Campinas por 3 x 0 e precisam reverter a situação. 

Como o regulamento da competição de 2018 não prevê o gol qualificado (fora de casa), o critério de desempate é o saldo simples. O alvirubro precisa de um saldo de três para levar para os pênaltis e um saldo de 4 para classificar direto. Os paulistas podem perder por um saldo de até dois gols que estarão na próxima fase. 

No final de semana o Náutico empatou com o Santa Cruz por 1 x 1, na estreia da Série C, enquanto a Ponte foi derrotada no sábado por 1 x 0 para o Paysandu no Moisés Lucarelli, em jogo válido pela primeira rodada da Série B. 

A próxima fase da competição terá as cinco equipes classificadas nesta fase, mais América-MG (campeão série B), Luverdense (campeão Copa Verde), Bahia (campeão Copa do Nordeste) e ainda Grêmio, Vasco, Cruzeiro, Corinthians, Santos, Palmeiras, Flamengo e Chapecoense (libertadores)

O Náutico em 2018:

Pernambucano - 13 jogos - 8 vitórias, 4 empates e 1 derrotas. 23 gols marcados. 13 gols sofridos.
Copa do Brasil - 5 jogos - 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota. 5 gols marcados, 5 sofridos.

Copa do Nordeste - 8 jogos - 2 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. 8 gols marcados e 8 sofridos.
Série C - 1 jogo - 1 empate. 1 gol marcado e 1 sofrido.

Total - 27 jogos - 13 vitórias, 10 empates e 4 derrotas. 37 gols marcados e 27 sofridos. Saldo de 10.



Ponte Preta em 2018:

Paulista - 17 jogos - 5 vitórias, 7 empates e 5 derrotas. 13 gols marcados e 12 sofridos.
Copa do Brasil - 5 jogos - 2 vitórias e 3 empates. 4 gols marcados e nenhum sofrido.
Série B - 1 jogo - 1 derrota. 1 gol sofrido.

Total - 23 jogos - 7 vitórias, 10 empates e 6 derrotas. 17 gols marcados e 13 sofridos. Saldo de 4.


terça-feira, 17 de abril de 2018

Características da sociedade grega no Período Homérico

Templo de Hera. Foto: AnLe / Shutterstock.com
                                               Templo de Hera. Foto: AnLe / Shutterstock.com


Grande parte dos historiadores convencionaram entender que a Grécia Antiga passou por quatro grandes períodos:

Período Homérico - séculos XI-VIII a.C.
Período da Grécia Arcaica - séculos VIII-V a.C.
Período Clássico - séculos V-IV a.C.
Período Helenístico - séculos IV-II a.C¹.

É justamente na primeira era desta subdivisão que concentraremos as nossas atenções. O Período Homérico. Falar de Homero não é tarefa simples. Não se sabe precisamente quais são as datas de seu nascimento e de sua morte. O historiador e geógrafo Heródoto afirma que ele teria vivido 400 anos antes de seu tempo, o que daria algo em torno de 850 a.C. e a data estimada da Guerra de Tróia (1194-1184 a.C.)². O que convenhamos dá uma boa diferença entre as duas datas. Mais de trezentos anos. É essencial, compreender que Homero é, antes de tudo, um tipo de poema, uma escrita, uma forma, e não um indivíduo.

Nesta época, surgiu o alfabeto grego. É Homero que funda a língua grega com dois poemas épicos excepcionais. Que se tornariam as primeiras fontes literárias gregas e do Ocidente como um todo: A Ilíada e a Odisséia.

A Ilíada é um conjunto de quase 16 mil versos, divididos em 24 cantos, que trata dos últimos instantes da Guerra de Tróia. A Odisséia é um poema com mais de 12 mil versos tratando do retorno dorei Odisseu, ou Ulisses para sua casa em Ítaca.

Esse período coincide com a chamada Primeira Diáspora Grega , em que aconteceram as invasões de povos dórios, que motivaram um grande deslocamento de grupos de pessoas da Grécia Continental para a Ásia Menor e as ilhas do Mar Egeu¹.

Algumas características importantes desse período, o povo grego ainda não tinha uma identidade formada, a não ser pelo fato de utilizarem o mesmo idioma (o grego) e de apresentarem influências de povos dórios, jônios, eólios e aques (os povos indo-europeus). A miscigenação desses povos levou a algumas transformações interessantes que nos servem de base para uma análise do período, compreendendo-o como uma época caracterizada por uma organização em torno de uma sociedade rural e autosuficiente, denominada Genos - decorrendo daí, o termo comunidade gentílica. 

Afirma Freitas Neto³ que "no sistema gentílico havia a propriedade coletiva da terra e os membros do clã (ou genos) trabalhavam conjuntamente e obedeciam a um líder, o páter. Para se protegerem, os diversos genos formavam uma frátria. Várias frátrias compunham uma tribo e a posição social de cada pessoa dependia do grau de parentesco com o páter-famílias".

Esse sistema entrou em gradativo colapso em função de vários fatos: pobreza do solo, o que dificultava a sua principal atividade, a agricultura. Disputas pelas terras férteis pelos mais diversos grupos, surgimentos de grupos sociais diferentes, como os proprietários, os não proprietários e os comerciantes.

Com esses fatores, a sociedade grega vai se expandindo geograficamente, buscando outras áreas para sua sobrevivência. O que vai culminar com o Período Arcaico.



Fontes:
1 - Introdução à Filosofia Antiga. Braga, Junior. Lopes, Luis Fernando. Curitiba: Intersaberes, 2015.
2 - Estética e Filosofia da Arte. Noyama, Samon. Curitiba: Intersaberes, 2016.
3 - História geral e do Brasil. Freitas Neto, José Alves de. Tasinafo, Célio Ricardo. São Paulo: Harbra, 2016.



A Filosofia da Fé Raciocinada

Aprendemos com o decorrer dos tempos e com o ensino de nobres pensadores que para se falar de filosofia, mesmo que seja para destacar uma nova filosofia, e que talvez não seja considerada nos meios filosóficos como tal, torna-se necessário mergulhar na história da mesma. O que faremos com a maior alegria, sem o menor tipo de dúvidas. E mais, com o devido respeito aos inúmeros filósofos de todos os tempos. Obviamente que em determinados momentos seremos obrigados a refutar as teses que possam nos afastar do nosso objeto de estudos e análises. Contudo, o faremos dentro de um sistema extremamente raciocinado e proporcionando espaço ao debate.

 Talvez soe estranho aos ouvidos acostumados com a então distância entre fé e razão, uma nova perspectiva. Fundamentada na Doutrina dos Espíritos, codificada pelo francês Allan Kardec, pseudônimo de Hypollite Leon Denizard Rivail, no século XIX. Todavia, como necessidade imperiosa para o entendimento neste início de século XXI e também para mais adiante, alargaremos um pouco mais a discussão, levando-se em consideração as novas informações, tanto na própria literatura espírita, quanto nas ciências, A Física Quântica, As Terapias de Vidas Passadas, As EQM’s (Experiências de Quase-Morte) e os novos desafios da sociedade atual e do futuro.

 Como antessala do sistema raciocinada que estamos nos propondo a averiguar, citaremos um dos mais respeitados filósofos iluministas.

     No item III da introdução de sua obra “Crítica da Razão Pura”, Immanuel Kant afirma:
“Há uma coisa ainda importante que o que precede: certos conhecimentos por meio de conceitos, cujos objetos correspondentes não podem ser fornecidos pela experiência, emancipam-se dela e parece que estendem o círculo de nossos juízos além dos seus limites.
Precisamente nesses conhecimentos, que transcendem ao mundo sensível, aos quais a experiência não pode servir de guia nem de retificação, consistem as investigações de nossa razão, investigações que por sua importância nos parecem superiores, e por seu fim muito mais sublimes a tudo quanto a experiência pode apreender no mundo dos fenômenos; investigações tão importantes que, abandoná-las por incapacidade, revela pouco apreço ou indiferença, razão pela qual tudo intentamos para as fazer, ainda que incidindo em erro.

Esses inevitáveis temas da razão pura são: Deus, liberdade e imortalidade”. ¹

 Deus, liberdade e imortalidade. Não é pelos erros de homens do passado e até do presente, que deixaremos para trás temas tão sublimes e de suma importância para compreensão da vida na terra. Não haverá paz nesse planeta enquanto, o próprio indivíduo não tiver a convicção de seu papel nesse orbe.
     “Fé inabalável só o é a que pode encarar de frente a razão, em todas as épocas da humanidade”.²



1 – CRÍTICA DA RAZÃO PURA. IMMANUEL KANT. EBOOKSBRASIL. MARÇO 2001.
2 – O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO. ALLAN KARDEC. TRADUÇÃO DE GUILLON RIBEIRO. FEB. 1944